jusbrasil.com.br
24 de Outubro de 2017

A mediação de conflitos nas escolas

Uma ferramenta para tratar os casos de violência e atos infracionais e de menor gravidade

Flávio de Freitas Gouvêa Neto, Advogado
há 4 meses

A mediao de conflitos nas escolas

A mediação pode ser conceituada como um método de resolução de conflitos no qual um mediador imparcial e neutro facilita a comunicação entre as pessoas em busca de uma solução para o problema. Ela pode ser usada em muitos âmbitos e o escolar é um deles. É um processo flexível e pode ser adaptado às necessidades específicas de um centro escolar, levando em conta a natureza dos conflitos e o objetivo do programa. É uma ótima ferramenta para melhorar a convivência no ambiente e na comunidade escolar e deve ser adotada por todas as instituições de ensino.

A importância da mediação na escola

Muitos dos programas desenvolvidos em escolas concluíram que a mediação é uma ótima ferramenta para ajudar na pacificação e democratização da escola, assim como oferecer uma educação integral que aporte ferramentas para o aluno desenvolver competências emocionais, sociais e de comunicação[1].

Os programas de mediação escolar permitem formar os membros da comunidade educativa como mediadores, difundir a cultura de paz e a mediação como forma de resolução pacífica de conflitos e também ensinar as pessoas as vantagens e benefícios de usar os processos auto-compositivos e suas técnicas no seu dia a dia.

Os alunos que participam da mediação escolar apresentam uma melhora na sua consciência individual e social, desenvolvem a comunicação, a escuta e a empatia, importantes habilidades humanas. Além disso, a mediação pode melhorar a capacidade de analisar e resolver os conflitos e compreender melhor as adversidades e desafios da vida. Os professores por sua vez melhoram a sua capacidade de compreender os conflitos, de comunicação e de resolver os problemas relacionados com o trabalho no ambiente escolar. Os pais também tem um papel importante e podem participar mais ativamente das questões relacionadas com os seus filhos, em especial nas situações de conflitos. O centro escolar também pode ser beneficiado com a melhora no ambiente, pois a comunidade educativa pode aprender a gerir os conflitos de uma forma mais eficiente.

A mediação também tem um caráter pedagógico e contribui com a difusão da cultura de paz, da não-violência e da resolução pacífica dos conflitos.

Os objetivos da mediação escolar

A implementação de um programa ou um serviço de mediação em uma escola devem sempre atender às necessidades especificas de cada centro escolar. Segundo Silvia Iungman, os objetivos da mediação escolar podem ser os seguintes[2]:

  1. Construir um sentido mais forte de cooperação e comunidade com a escola;
  2. Melhorar o ambiente na aula por meio da diminuição da tensão e da hostilidade.
  3. Desenvolver o pensamento crítico e habilidades para a solução de problemas;
  4. Melhorar as relações entre os estudantes e os professores;
  5. Aumentar a participação dos alunos e desenvolver habilidades de liderança;
  6. Resolver as disputas menores entre as pessoas que interferem no processo de educação;
  7. Favorecer o aumento da autoestima dos membros da comunidade escolar;
  8. Facilitar a comunicação e as habilidades para a vida cotidiana.

Casos que podem ser objeto de mediação

Podem ser objeto de uma mediação os conflitos entre alunos, entre alunos e professores, entre professores, pais e professores, casos de indisciplina e bullying, atos infracionais de menor gravidade, casos de violência entre alunos e até mesmo conflitos com a vizinhança e o entorno escolar. As ferramentas e dinâmicas de mediação também podem ser usadas para tomar decisões importantes que necessitam de um consenso. É um processo que ajuda a construir soluções através do diálogo e fortalece o vínculo entre as pessoas.

Como funciona a mediação na escola

Existem diversos estudos e programas de mediação escolar desenvolvidos pelo mundo e podemos dividir em cinco categorias distintas:

  • Modelo aluno ajudante [3]: Neste caso, os próprios alunos são capacitados em mediação e treinados em habilidades de comunicação e resolução de conflitos para mediar e ajudar os outros alunos e também pode ser feito em um modelo no qual os alunos maiores mediam os conflitos dos alunos menores;
  • Modelo de mediação em rede [4]: O objetivo deste modelo criar uma rede de mediadores na escola para mediar todos os conflitos relacionados com o ambiente escolar, inclusive com a ajuda de profissionais e mediadores externos que formam uma rede de apoio à escola;
  • Modelo professores-alunos [5]: Neste modelo, as próprias pessoas do centro educacional, em especial os professores, são capacitados para atuar como mediadores nas questões e conflitos da própria escola. Os alunos também podem ser capacitados, mas neste caso somente membros da própria comunidade escolar irão atuar na mediação dos conflitos.
  • Programa de Competência Social [6]: Este programa desenvolvido pela Comunidade da Catalunha não é propriamente um programa de mediação e teve como objeto a formação e capacitação dos alunos em competências pessoais, emocionais e sociais, para favorecer a existência de boas relaciones interpessoais dentro e fora da escola, ocorrendo assim uma melhora na convivência e a diminuição dos conflitos;
  • Círculos Restaurativos/Justiça Restaurativa: Os círculos restaurativos ou de paz são encontros nos quais toda a comunidade, os alunos, pais e professores, tratam dos principais problemas ou conflitos existentes na escola e através do diálogo buscam soluções com a participação de todos, inclusive com a possibilidade de escuta das vítimas e agressores nos casos de bullying e violência.

Como implementar a mediação na escola

O desenvolvimento dos programas de mediação na escola devem ser feitos por etapas. Alguns autores afirmam que as etapas de execução podem ser as seguintes[7]:

1ª) Etapa de sensibilização e difusão com professores, pais, funcionários, alunos e todos os integrantes da comunidade educativa; 2ª) Reuniões com os alunos e/ou professores; 3ª)Treinamento para os professores e/ou alunos; 4º) Instalação de um centro de mediação escolar; 5ª) Monitoramento, supervisão e avaliação da experiência.

É sempre importante realizar um planejamento de acordo com o modelo a ser adotado, os objetivos do programa e os recursos disponíveis para obter êxito na implementação da mediação escolar.

Estes são alguns aspectos da mediação escolar, existe uma extensa bibliografia que trata do assunto e que pode facilmente ser encontrada na internet, principalmente em inglês e espanhol. Se aprofunde no assunto e leve a mediação para a sua escola.

Referências

[1] Veja DE MATEO, Santiago. La aportácion de la mediación entre iguales al curriculum social de los adolescentes: programa e-amediar.

[2] Veja IUNGMAN, Silvia. La mediación escolar. Buenos Aires, 1996: Ed. Lugar Editorial.

[3] Veja FERNANDEZ, Isabel. VILLAOSLADA, Emiliana, FUNES, Silvina. Conflicto en el centro escolar. El alumno ayudante. Madrid, 2002: Ed. Catarata.

[4] Veja BOQUÉ TORREMORELL. Tiempo de mediación. Barcelona, 2005: Ediciones Ceac.

[5] Veja TORREGO SEIJO, Juan Carlos. Mediación de conflictos en instituciones educativas. Madrid, 2000: Ed. Narcea.

[6] Veja SEGURA, Manuel. Un programa de Competência Social.

[7] Veja IUNGMAN, Silvia. La mediación escolar. Buenos Aires, 1996: Ed. Lugar Editorial.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)